Treinamento Funcional

O treinamento funcional é baseado nos movimentos naturais dos seres humanos, sendo que seus praticantes adquirem força, equilíbrio, condicionamento, resistência e agilidade, fatores de grande importância para o desenvolvimento da consciência corporal.

O grande diferencial é que essa metodologia agrega volume e definição muscular, além de distanciar o praticante dos movimentos mecânicos e eixos definidos, como ocorre na musculação. Ademais é um método que ajuda a prevenir lesões, gera melhorias cardiovasculares e a tão almejada redução do porcentual de gordura. No entanto, é importante ressaltar que tanto a musculação quanto o treinamento funcional vão melhorar a qualidade de vida e o ideal é unir ambas as modalidades para garantir eficiência.

A fim de trabalhar a musculatura profunda, o profissional utiliza junto de seus alunos materiais como elásticos, cordas, bolas, cones, discos e hastes. A recomendação de frequência dessa atividade varia de acordo com o sexo, a idade e o histórico do praticante, mas em geral aconselha-se a realização do método de exercício de até três vezes por semana.

Um dos grandes pilares do treinamento funcional é o fortalecimento do core – o centro de força do corpo, que incluí os músculos dos quadris, do abdômen, da região lombar e responde pela estabilização da coluna vertebral- trabalhando assim os músculos de forma global e tornando, desta maneira, diminuta as chances de sobrecarregar uma ou outra parte do corpo.

Há então, resultados estéticos e práticos no dia a dia e que aparecem a curto e longo prazo, como exemplo pode-se citar:

  • O treinamento adapta-se aos praticantes e as necessidades destes;
  • É altamente motivador pela infinita possibilidade de exercícios, contando apenas com a criatividade do profissional que aplicará a modalidade;
  • Há a melhoria da postura, como um todo, principalmente durante os exercícios;
  • Desenvolve-se melhor equilíbrio muscular (simetria) e eficiência dos movimentos;
  • Há o aumento da força muscular e desenvolvimento do equilíbrio estático e dinâmico;
  • Desenvolve-se também processos de reabilitações de lesões, com a melhoria das estruturas afetadas;

Prof. Murilo Grande cref.023395

Deixe uma resposta